• WhatsApp (11) 9.8243-3178
  • andersonpdanca@gmail.com

RITMOS

Sertanejo Universitário

Surgiu em sequência de movimentos do sertanejo romântico, esse estilo já não conta com letras tão regionais e situações vividas por caipiras (como o Sertanejo Raiz). Geralmente as músicas tratam de assuntos do Sertanejo Romântico da forma como os jovens veem (assuntos como poligamia e traição).
A Dança é recente e adaptada aos compassos musicais melódicos de ritmo lento ou médio, bem diferentes do estilo Country. Proporciona evoluções de deslocamento lateral e frontal permitindo uma diversidade de movimentos.

Forró Universitário

É um dos ritmos mais dançados por todas as faixas etárias. O ritmo veio para São Paulo nos anos 60, trazido por Dominguinhos e Luiz Gonzaga. O modo de dança no Forró Universitário é principalmente em dois-dois, giro simples do cavalheiro e da dama e as marcações com vai e véns da variados anglos.

Gafieira

Muito forte na parte instrumental, o samba de gafieira originou-se no Rio de Janeiro. Permite dançar de casal em diversos tipos de músicas (pagode, mpb, choro, bossa-nova, samba-funk entre outros). Um estilo de dança muito admirado pela beleza dos desenhos de perna da dama e do cavalheiro.

Samba Rock

Ritmo brasileiro que já foi conhecido como sambalaço ou samba jovem na época da Jovem Guarda. É uma mistura de passos de rock anos 60 com samba. Diferente da gafieira, o samba-rock utiliza muitos entrelaçamentos de braços, produzindo efeitos de belos giros entre o casal. No estilo musical Jorge Ben Jor e Seu Jorge são muito utilizados.

Bolero

O bolero tem a sua mais remota origem na Espanha no final do século XVIII, derivado do fandango. Trata-se de um ritmo lento. O bolero foi adaptado pelos mexicanos, e depois por toda a América Latina. É uma dança que possibilita rodar muito o salão. Os passos possuem principalmente caminhadas deslocadas e giros com deslizes.
Atualmente utilizam na dança tanto músicas conservadoras como músicas melódicas que possibilitem a marcação do bolero.

Zouk

Zouk está em alta – é uma dança praticada hoje em todos os continentes, sendo disseminada através de profissionais do mundo inteiro.

A dança se dilui em diversas vertentes e formas de se dançar, mas a base para a dança nunca deixou de ser algo em comum entre essas vertentes, com os giros, movimentos de braços e cabeça. Se dança lenta ou muito rápida, de acordo com a essência musical, mas sempre explorando a sensualidade

O zouk é um estilo bastante presente no Brasil, e com tantos profissionais de nosso país, apelidam nosso estilo como Brazilian Zouk.
Não se deve confundir o estilo musical Zouk com o estilo de dança Zouk, pois a dança Zouk abrange a possibilidade de dançar em muitos estilos musicais como Kizombas, R&B, Reggaeton e mais recentemente mixagens que contenham Black Music, NewAge, Pop e outros.
Pode ser considerada uma das danças mais expressivas pois trabalha muita amplitude de espaço, e desmembra movimentações desde os pés até a cabeça.

Vanera

É também sertanejo, entretanto caracterizado por movimentos de mais próximidade, curtos e rápidos.

Dança do Ventre

A dança de ventre é uma famosa dança praticada originalmente em diversas regiões do Oriente Médio e da Ásia Meridional. Os movimentos são marcados pelas ondulações abdominais, de quadril e tronco isoladas ou combinadas, ondulações de braços e mãos, tremidos(shimmies) e batidas e torções de quadril, entre outros.

Zumba

Zumba é um programa de fitness inspirado principalmente pela dança latina criado na Colômbia pelo coreógrafo Beto Pérez, na década de 1990. O zumba mescla movimentos de danças latinas como o samba, salsa, merengue, mambo e reggaeton, ou mesmo outros estilos como hip hop e dança do ventre

Pagode

O pagode é um subgênero do samba. Tem suas origens no Rio de Janeiro entre o final da década de 1970 e início da década de 1980, a partir da tradição das rodas de samba feitas nos “fundos de quintal”.

FLASH-BLACK

Aprenda a dançar passinhos de FLASH-BLACK, agende sua aula grátis

Cha-cha-chá

Cha-cha-chá ou chachachá é uma dança latino-americana originária de Cuba, construída sobre a música homônima. É considerada uma variação do forro. O cha-cha-chá começa na quarta batida da medida 4/4. A dança cubana conta “1-2-3, 1-2”. Os passos em todas as direções devem ser dirigidos primeiramente com a parte anterior do pé em contacto com o chão e, em seguida, com o calcanhar diminuindo quando o peso é totalmente transferido. Quando o peso é liberado a partir de um pé, o calcanhar deve liberar primeiro, permitindo que os dedos do pé mantenham contato com o chão.

 

 

 

 

WhatsApp chat